A Saúde Oral e Hábitos de Higiene . CMM
A Saúde Oral e Hábitos de Higiene

A Saúde Oral e Hábitos de Higiene

A saúde oral deve ser encarada como um direito humano básico, como componente crucial da saúde geral, do bem-estar físico e mental.


A sua abordagem deve ser multidisciplinar, envolvendo vários intervenientes, não só de medicina dentária, como de outras especialidades, nomeadamente endocrinologia, cardiologia, cirurgia maxilo-facial, oncologia, terapia da fala, entre outras. Sendo influenciada pelas alterações biológicas, ambientais e sociais experimentadas pelo indivíduo, a sua manutenção depende de escolhas, comportamentos e atitudes praticadas desde a primeira infância até à idade adulta.


Neste contexto, a aquisição de hábitos de higiene oral deve iniciar-se ainda antes da erupção do primeiro dente, destacando o papel e supervisão dos pais ou cuidadores na consolidação dos mesmos no decorrer da infância e adolescência.


A dieta é um factor transversal a todas as faixas etárias, devendo incluir alimentos protetores e pouco cariogénicos, como fruta, legumes, leite simples e queijo, evitando alimentos com pH ácido e açucarados, tais como bolachas, bebidas gaseificadas e guloseimas. Embora a cárie dentária seja a consequência mais comummente relacionada com o consumo excessivo de açúcares, um índice glicémico elevado, também inerente à diabetes, está igualmente associado a um maior risco de doença periodontal.


O tabagismo encontra-se entre os factores de risco mais preponderantes para o desenvolvimento de cancro oral, halitose e doença periodontal, tendo também um impacto negativo do ponto de vista estético por acumulação de pigmento dentário. Desta forma, a motivação e educação para a cessação tabágica constitui uma das preocupações da equipa de medicina dentária do CMM Aveiro – Outros Sorrisos.


Não pretendendo ser exaustiva, a lista de exemplos acima apresentada insere-se num conjunto de escolhas inteligentes relativas à saúde oral ao alcance de todos. A esta acresce a grande importância de visitas regulares e preventivas ao médico dentista (em média de 6 em 6 meses ou de 3 em 3, em situações de alto risco de cárie). Acreditamos que uma aposta mais preventiva e menos curativa contribuirá para uma redução das despesas de cada indivíduo com a saúde oral, melhorando ainda a sua qualidade na população em geral.


A Equipa de Medicina Dentária do CMM - Centro Médico de Aveiro


20 de Março de 2017